30/07/2022 08h23min - Geral
1 semana atrás

"Para": presa por latrocínio diz que pediu fim de agressão à pecuarista


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: Campo Grande NEWS


Presa pelo latrocínio da pecuarista Andreia Aquino Flores, a funcionária Jéssica Neves Antunes, 24 anos, pede liberdade provisória. O documento foi anexado na madrugada deste sábado (dia 30). Na manhã de hoje, ela e a mãe vão passar por audiência de custódia em Campo Grande.  O advogado Raphael Augusto Cândido de Souza aponta que Jessica comprou o simulacro de arma, boné e cigarros antes do crime, mas não participou da asfixia que levou à morte de Andréia. Ele destaca que a presa pediu para que Pedro Benhur Ciardulo (apontado como responsável por imobilizar a vítima) parasse. “Ela pediu para Pedro ‘parar com aquilo, pois a mataria se continuasse”, informa a defesa.  O documento antecipa que, diante do juiz da audiência de custódia, Jéssica deverá revelar ter sofrido tortura física e psicológica. “A parte acusada afirma que foi vítima de tortura física e psicológica, praticada no momento em que estava sendo interrogada pelos policiais da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos – DERF - até então desconhecidos -, para que suas palavras viessem a coincidir com o depoimento prestado pela primeira acusada, LUCIMARA ROSA NEVES”.  Titular da Derf, o delegado Francis Flávio Freire afirmou neste sábado ao  Campo Grande News  que desconhecia informação de tortura e refuta "qualquer afirmação neste sentido".  Lucimara, 43 anos, é mãe de Jéssica e também foi presa pelo crime. A defesa de Jéssica  pede liberdade provisória, com monitoração eletrônica.  De família tradicional de Ponta Porã e dona de vasto patrimônio, Andréia, 38 anos, foi encontrada morta em casa, num condomínio da Chácara Cachoeira, em Campo Grande, no começo da tarde de quinta-feira (dia 28). Primeiro, mãe e filha, funcionárias da pecuarista, relataram versão fantasiosa de que foram rendidas após compras num atacadista da Rua Marquês de Lavradio, Jardim São Lourenço,  e forçadas a entrar no condomínio. Durante o crime, teriam permanecido amarradas e Lucimara ainda foi obrigada a dar fuga para os assaltantes, os levando até o Bairro Tiradentes.  A versão caiu por terra horas depois, quando as câmeras do atacadista mostraram o homem entrando no Jeep, de propriedade de Andréia, enquanto as funcionárias guardavam as compras. O assalto era para forçar a pecuarista a transferir dinheiro, foram citados valores de R$ 20 mil a R$ 80 mil. 

•  campo grande news •  navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 08/08/2022 22h24min
Bares e restaurantes têm o melhor desempenho do ano em julho
Geral - 08/08/2022 21h52min
Bryan marca nos acréscimos e garante vitória do Santos sobre o Coritiba
Geral - 08/08/2022 21h47min
Maus-tratos levam polícia do Rio a fechar asilo em Guaratiba
Geral - 08/08/2022 21h31min
Briga em praça termina em homem morto com facada
Geral - 08/08/2022 21h28min
Ciro Gomes registra candidatura à presidência no TSE
Geral - 08/08/2022 21h14min
Polícia Civil e Militar deflagram Operação “Naviraí Segura”
Geral - 08/08/2022 21h10min
Dólar cai para R$ 5,11 e fecha no menor nível em sete semanas
Geral - 08/08/2022 20h56min
TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas