01/06/2021 08h08min - Geral
3 semanas atrás

Após denúncia do MPF, Justiça condena servidora pública de Mundo Novo por lavagem de dinheiro


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: TaNaMídia Naviraí


A Justiça Federal em Campo Grande condenou Kelen Cristhian Carvalho Ricas Torres, servidora da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso do Sul no município de Mundo Novo, a cinco anos de reclusão e à perda do cargo público pelo crime de lavagem de dinheiro.

De acordo com denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF), Kelen emprestou a própria conta bancária para o então cunhado, Jefferson Piovezan Azevedo Molina, efetuar operações financeiras de recursos provenientes do tráfico internacional de drogas, contribuindo para a ocultação da movimentação e da propriedade dos valores de origem ilícita.

Jefferson, assassinado em 2017, era articulador de um grupo criminoso dedicado ao tráfico de drogas com atuação centralizada em Mundo Novo, cidade fronteiriça com o Paraguai. Junto com o pai, o subtenente da Polícia Militar Silvio Molina, também denunciado pelo MPF e preso desde junho de 2018, Jefferson gerenciava uma rede de contatos com compradores e fornecedores, além de fornecer drogas para traficantes da região nordeste do Brasil. O grupo foi investigado e desmantelado em razão de diligências vinculadas à operação Laços de Família.

Somente entre os meses de fevereiro e março de 2014, prazo a que a ação penal se refere, foram identificadas seis transações de crédito na conta bancária de Kelen, cinco depósitos e uma transferência, totalizando R$ 234.950,00. Os valores foram sacados por Kelen, em espécie, logo após serem creditados, e entregues à irmã dela, então companheira de Jefferson.

Ampliando a análise das informações foi possível identificar, no período compreendido entre 2012 e 2017, movimentação financeira da ordem de R$ 1,2 milhão a título de crédito e débito nas contas da ré, valores absolutamente incompatíveis com a remuneração recebida por ela como servidora pública. O MPF caracterizou a conta de Kelen como “conta de passagem”, utilizada para movimentação financeira do grupo criminoso de Jefferson Molina.

Kelen foi condenada a 5 anos e 2 meses de reclusão, à perda do cargo público e à interdição para exercício de cargo ou função pública de qualquer natureza por 10 anos.



•  tanamidia navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 24/06/2021 00h52min
Naviraí volta para bandeira vermelha e MS tem quatro cidades na cinza
Geral - 23/06/2021 19h35min
MS registra a circulação de 13 linhagens do coronavírus
Geral - 23/06/2021 18h36min
Mãe mata bebê de 5 meses por ela ter “chip da besta”
Geral - 23/06/2021 17h38min
Mato Grosso do Sul deve receber 105 mil doses de vacina contra Covid-19 nesta quinta-feira
Geral - 23/06/2021 17h11min
Venda de Ivermectina aumenta em 857% no Brasil durante a pandemia
Geral - 23/06/2021 16h33min
Temperaturas em elevação e umidade do ar em queda a partir desta quarta-feira
Geral - 23/06/2021 16h30min
População pode sugerir como governador vai gastar R$ 18,4 bilhões em 2022
Geral - 23/06/2021 16h03min
PF-MS faz a primeira incineração de drogas do ano