08/07/2022 09h45min - Geral
1 mês atrás

ARTIGO: Violência contra a mulher: Responsabilidade de todos


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: Naviraí Notícias


Decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a constitucionalidade de lei municipal que veda o provimento de cargos públicos por condenados no âmbito da Lei Maria da Penha.

Somente no primeiro semestre deste ano, Mato Grosso do Sul registrou absurdos 23 feminicídios – assassinatos de mulher decorrentes de violência doméstica ou de discriminação de gênero. Segundo a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP), no ano passado, 32 mulheres foram mortas nessas mesmas circunstâncias, que configuram crime hediondo.

As estatísticas da barbárie consumada permitem supor números alarmantes de agressões físicas e morais que, embora não resultem diretamente em morte, configuram brutalidade e menosprezo de homens(?) cuja perversão machista lhes permite sentirem-se donos de suas companheiras. Ou, como acontece tantas vezes, se julgam no direito de agredir a mulher que os rejeita.

Embora nos últimos anos, especialmente com o advento da Lei Maria da Penha, o Estado brasileiro tenha ampliado a rede de proteção à mulher vítima de violência, a subnotificação de agressões ainda é muito grande. Seja por dependência financeira do agressor, seja por temer que a denúncia possa torna-lo ainda mais violento ao se livrar da punição legal, muitas mulheres vulneráveis se recusam a registrar queixa contra o companheiro.

Além do que, outras formas de violência – aparentemente mais sutis, mas não menos perversas – como assédio sexual e moral, ainda persistem com nauseante frequência, vitimando mulheres em seus ambientes de trabalho, onde predadores animalescos se valem de superioridade funcional para tentar submetê-las.  

Nesse contexto, em decisão recente, e em boa hora, do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a constitucionalidade de lei municipal que veda o provimento de cargos públicos por condenados no âmbito da Lei Maria da Penha.

Assim, os muitos municípios que já tenham oficializado esse impedimento – e os demais que devem adotá-lo em nome da dignidade feminina – têm agora plena segurança jurídica para exigir de seus agentes, de forma objetiva, a idoneidade moral e a honradez que conformam a Administração Pública. Atributos de que certamente não dispõe alguém condenado por crime contra o gênero feminino.

Ao comentar recentemente a importância dos municípios para a efetividade da Lei Maria da Penha, o presidente do TCE-SP, conselheiro Dimas Ramalho, na linha do que temos reiterado neste espaço, destaca o papel pedagógico dos Tribunais de Contas como indutores de políticas públicas, indo além da análise da legalidade formal dos dispêndios, e exigindo dos gestores "ações e resultados capazes de transformar o cenário social.".

Nesse sentido, a partir da decisão do STF que reconhece a constitucionalidade de leis municipais que barram aos condenados por agressões de gênero o acesso a carreiras e cargos públicos, o TCE-MS reafirma e reforça o seu empenho junto aos entes jurisdicionados, para a consolidação da defesa da plena integridade das mulheres como política pública efetiva e eficaz.

E como responsabilidade moral, ética e social de todos.

 

AUTOR: Iran Coelho das Neves, Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul.

 

 

Fonte: Iran Coelho das Neves - Presidente do TCE-MS

•  navirai noticias •   site •   naviraí


Últimas Notícias
Geral - 10/08/2022 13h30min
Senado aprova acúmulo de saldo de telefonia não utilizado
Geral - 10/08/2022 13h22min
Mães de Blumenau tentam reaver a guarda de filhos enviados à adoção
Geral - 10/08/2022 13h22min
BNDES leva a leilão antigo edifício-sede em Brasília
Geral - 10/08/2022 13h11min
Vítima procura polícia para denunciar furto e ao voltar para casa encontra suspeito dormindo na própria cama
Geral - 10/08/2022 13h08min
Maioria do STF vota a favor de reajuste de 18% para o Judiciário
Geral - 10/08/2022 12h48min
WhatsApp estende prazo para apagar mensagens enviadas
Geral - 10/08/2022 12h31min
Idosa é socorrida com furo no olho ao ser atacada com tesouradas pelo enteado
Geral - 10/08/2022 12h20min
Pandemia mudou hábito e 20% dos passageiros deixaram de usar ônibus na Capital