27/07/2022 15h18min - Geral
3 semanas atrás

Dívida milionária e imóveis arrombados são resultado de ações contra João Amorim


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: Campo Grande NEWS


Embora tenha pedido autorização da Justiça para passar 20 dias em Madri, capital da Espanha, a situação do empresário João Amorim não é tão boa assim. Duas decisões judiciais recentes envolvem diretamente o empreiteiro, a primeira, do juiz Cássio Roberto dos Santos, dá 48 horas para que ele devolva chaves de duas salas em condomínio de luxo em que mantinha escritório, sob risco de arrombamento do imóvel, inclusive com uso de reforço policial, caso seja necessário. A segunda, proferida pela juíza Joseliza Turine, trata de dívida milionária da Proteco Construções Ltda. junto ao governo do Estado. Amorim, proprietário da empresa, ofereceu bem no valor de R$ 9,4 milhões para penhorar, mas a soma a ser quitada é de R$ 10,5 milhões. Sendo assim, a magistrada deu prazo de 10 dias para que a diferença de R$ 1,1 milhão seja sanada. No primeiro caso, o empresário possui duas salas em edifício localizado no centro de Campo Grande e ficou sem pagar taxas condominiais de novembro de 2014 a novembro de 2016. Em março de 2017 a dívida já estava em R$ 63,7 e a quitação foi negociada. O pagamento seria feito em seis parcelas, contudo Amorim só pagou a primeira integralmente e parte da segunda. Após várias tentativas, conforme explica o responsável pelo condomínio na ação de cobrança, a decisão foi de judicializar a questão em maio de 2018. No mesmo mês a Justiça determinou o pagamento da dívida, mas em agosto daquele ano Amorim ainda não tinha sido encontrado para notificação. À época a filha do empresário usava as salas, porém, ainda segundo informado nos autos, não prestava informações ao condomínio sobre o paradeiro do pai. Em fevereiro de 2019 Amorim ainda não havia sido encontrado pela Justiça, assim foi até meados de 2020 quando a defesa dele se manifestou alegando que as salas seriam colocadas a venda, depois desistiu e agora, no final de julho deste ano, após o condomínio informar que há interessados em comprar os imóveis, mas não há como adentrar as salas porque as chaves foram retiradas da imobiliária por Amorim, a Justiça determinou que, caso as chaves não sejam fornecidas em 48 horas, as salas sejam arrombadas, mesmo que para isso seja preciso acionar a polícia. No segundo caso, o Estado ingressou com ação em setembro de 2016 cobrando dívida de R$ 4,6 milhões da Proteco Construções junto à Fazenda fruto de impostos não pagos. Ao decorrer do processo o total chegou a ser negociado, mas, assim como na situação anterior, o empreiteiro não quitou as parcelas firmadas para que a penhora de bens não ocorresse. O nome de João Amorim ficou conhecido após as Operações Lama Asfáltica e Coffee Break serem deflagradas, já que estava entre os investigados em ambas as apurações.  

•  campo grande news •  navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 14/08/2022 22h01min
Internacional atropela o Fluminense por 3 a 0 no Beira Rio
Geral - 14/08/2022 21h40min
São Paulo atropela Red Bull Bragantino por 3 a 0 neste domingo
Geral - 14/08/2022 21h21min
Rayssa Leal conquista etapa de Seatle da Liga Mundial de street
Geral - 14/08/2022 21h05min
Em casa, América-MG vence o Santos por 1 a 0 e respira na Série A
Geral - 14/08/2022 20h49min
Fortaleza vence Ceará por 1 a 0 e deixa zona de rebaixamento
Geral - 14/08/2022 20h29min
Brasil registra 37 mortes por covid-19 em 24 horas
Geral - 14/08/2022 20h22min
Brasil registra 37 mortes por covid-19 em 24 horas
Geral - 14/08/2022 20h05min
Eleições 2022: veja o que pode ou não no dia da votação