14/05/2021 04h30min - Geral
1 mês atrás

Empresa paraguaia é suspeita de enviar maconha em carga de arroz a granel


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: TaNaMídia Naviraí


Um empresa de exportação de alimentos entrou no radar da polícia sul-mato-grossense por suspeita de ligação com o tráfico de drogas. Com sede no Paraguai, a empresa Cocal Exportações seria proprietária das três cargas de arroz em casca em que foram encontradas quase dez toneladas de maconha, na quarta-feira (12).

As três carretas carregadas com arroz a granel foram interceptadas pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) na rota entre Ponta Porã e Campo Grande. As cargas tinham como destino o interior de Minas Gerais.

A empresa foi criada para exportar alimentos do Paraguai para o mercado brasileiro, mas agora passa a ser investigada por suspeita de usar as cargas lícitas para esconder droga.

O Brasil é o maior consumidor da maconha produzida em território paraguaio e destino de boa parte da cocaína trazida da Bolívia, Colômbia e Peru por quadrilhas baseadas no Paraguai.

Das três cargas apreendidas na quarta-feira, a maior foi de 7,7 toneladas de maconha. A carreta conduzida pelo brasileiro Barerito da Silva, de 30 anos, morador em Villarrica, no Paraguai, foi interceptada na MS-162, entre Maracaju e Sidrolândia.

A segunda carreta, também carregada com arroz, levava 708 quilos de maconha em fundo falso. O motorista Celso Andrés Ferreira Florentin, de40 anos, e o irmão dele, Nelson Elcirio Ferreira Florentin, de 41 anos, foram presos. A apreensão ocorreu também na MS-162, em Sidrolândia.

A terceira carreta, uma Scania azul, foi abordada pelo DOF com apoio da PMR (Polícia Militar Rodoviária) na Moreninha III, já em Campo Grande. No fundo falso estavam 830 quilos. O veículo tinha na direção o paraguaio Felipe Centurión González, de 32 anos, procurado pela Justiça de seu país.

Felipe disse que disse que saiu com a carga de arroz do Paraguai com destino a Minas Gerais. As 31 toneladas de arroz foram descarregadas em uma cerealista em Itaporã.

Assim como na primeira apreensão, as duas ocorrências foram registradas na Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), em Dourados.

 



•  tanamidia navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 22/06/2021 19h32min
Copa América no Brasil registra 140 casos de covid-19, diz Conmebol
Geral - 22/06/2021 19h30min
Deputados aprovam serviços de beleza como atividades essenciais em Campo Grande
Geral - 22/06/2021 19h25min
Força policial apreende drogas e bicicletas em Fátima do Sul
Geral - 22/06/2021 18h24min
Entra em vigor lei que prorroga regras de reembolso de passagens aéreas
Geral - 22/06/2021 17h24min
Vítima tem moto furtada após estacionar por 40 minutos
Geral - 22/06/2021 16h17min
Contrabandista foge da PRF com carga de cigarros avaliada em R$ 2 milhões
Geral - 22/06/2021 15h23min
Prefeitura assegura eficácia de todas as marcas de vacinas contra Covid-19
Geral - 22/06/2021 15h18min
Cocaína que saiu de Campo Grande no assoalho de carro é apreendida em SC