06/09/2021 15h23min - Geral
2 meses atrás

IBGE realiza na Ilha de Paquetá primeiro teste para o Censo 2022


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: SulNews


IBGE faz o primeiro teste de coleta para o Censo Demográfico 2022. Local escolhido é a Ilha de Paquetá, na Baía da Guanabara (RJ), que tem mais de 85% da população vacinada com as duas doses contra a Covid-19. Além das entrevistas presenciais, serão empregadas abordagens alternativas de coleta por telefone e por internet. Entre os objetivos do teste estão a ambientação sobre a operação censitária, teste de equipamentos e sistemas e mobilização das equipes e disseminação. Recenseamento de casa em casa será entre os dias 6 e 24 de setembro. C A R L O S    A L B E R T O    G U I M A R Â E S  O primeiro teste de campo para o Censo Demográfico 2022 após o início da pandemia de Covid-19 começou dia 1º de setembro, com a Pesquisa Urbanística do Entorno, e vai até 30 de outubro, na Ilha de Paquetá, localizada na Baía de Guanabara (RJ). O recenseamento de casa em casa teve início nesta segunda-feira (6) e se estende até dia 24 de setembro. Serão 16 técnicos do IBGE diretamente envolvidos no serviço de coleta, sendo 12 deles atuando como recenseadores. Distante uma hora de navegação do Centro do Rio de Janeiro, com pouco mais de 1,2 km² e cerca de 40 ruas, a ilha – oficialmente um bairro do município carioca – tinha quase 1.300 domicílios e 3.381 moradores segundo o Censo 2010. “O teste em Paquetá é um marco inicial para uma série de outros testes que preparam o início da coleta do Censo ano que vem, em 1º de junho de 2022.  Agradecemos o apoio da secretaria de saúde do município do Rio e a receptividade calorosa da população de Paquetá”, destaca o presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto. Dados da Prefeitura do Rio indicam que mais de 85% da população adulta de Paquetá já estão vacinados com as duas doses contra a Covid-19, o que garante mais segurança para o trabalho das equipes do IBGE e para os moradores. Mesmo assim, os profissionais envolvidos na coleta de dados usarão máscaras e protetores faciais, respeitando os protocolos de segurança contra a pandemia. Para o diretor de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, eventos como esse são fundamentais para o Instituto garantir uma operação censitária segura e de qualidade. “Precisamos manter erguida a bandeira do Censo dada a importância das informações para a sociedade brasileira. Estamos diante de um ‘novo normal’ e será a primeira experiência do IBGE em colocar uma operação censitária em campo depois do Censo Experimental em 2019”, diz. “Paquetá é o local ideal para nosso teste, pelo avanço na vacinação dos moradores e pela proximidade com a sede do IBGE, o que reduz os custos operacionais”, explica o gerente técnico do Censo, Luciano Duarte. Entre os principais objetivos do teste, Luciano destaca a ambientação sobre a operação censitária no âmbito nacional e a mobilização das equipes para a realização do Censo. Operação testará também coleta por telefone e internet No teste de Paquetá, serão empregadas abordagens alternativas e complementares de coleta de dados: presencial, por telefone e por internet. As três formas de coleta serão utilizadas no recenseamento do ano que vem. A operação no Rio de Janeiro também servirá para testar os sistemas e equipamentos que serão utilizados na operação censitária, como os Dispositivos Móveis de Coleta (DMCs, semelhantes a um smartphone, que guardam os questionários eletrônicos), visto que algumas especificações e funcionalidades ainda não foram avaliadas em campo. O treinamento dos profissionais envolvidos no teste ocorreu ao longo do mês de agosto. “O teste vai ser uma oportunidade para nos ambientarmos na operação censitária. Como responsáveis pela operação de campo, vamos nos empenhar para que Paquetá seja referência para as outras unidades estaduais”, avalia o chefe da Unidade Estadual do IBGE no Rio, José Francisco Teixeira Carvalho. A Pesquisa Urbanística do Entorno, que antecede ao Censo propriamente dito e traz informações sobre a infraestrutura urbana, transcorre desde quarta-feira (1), devendo ser concluída sexta-feira (3). Nesta fase da pesquisa, os profissionais observam quesitos que vão de iluminação pública, identificação de logradouro, pavimentação das vias, existência de calçadas, ciclovias, pontos de ônibus, até questões sobre acessibilidade urbana e arborização. Claudio Stenner, diretor de Geociências do IBGE, explica a importância dessa etapa inicial: “É fundamental conhecer o contexto onde estão as casas a apartamentos dos brasileiros. A Pesquisa Urbanística do Entorno dos domicílios levanta com detalhes diversas informações sobre a infraestrutura urbana. Junto com as informações do questionário do Censo, é possível entender não só como são os brasileiros e as casas onde vivemos, mas também como são as ruas e bairros onde moramos”. O recenseamento de casa em casa em Paquetá começou neste dia 6 de setembro e terminará dia 24 do mesmo mês. A partir de então, até 1° de outubro, será o período de supervisão. O trabalho se encerra com a Pesquisa de Pós-Enumeração (PPE), usada para avaliar a cobertura e a qualidade da coleta de dados do estudo censitário, que vai até 30 de outubro. A operação servirá também para avaliar o modelo de testes para uso nas demais unidades estaduais do IBGE, em novembro. Nesse mesmo mês, o IBGE fará um teste em maior escala no município de Engenheiro Paulo de Frontin (RJ), além de visitar aglomerados subnormais e domicílios improvisados em Nova Iguaçu (RJ) e em territórios indígenas e quilombolas em Angra dos Reis (RJ) e Paraty (RJ). Os primeiros testes preparatórios para o Censo (no caso, para 2020, cancelado por causa da pandemia) tiveram início em 2018. No final de 2019, o Censo Experimental foi a campo entre setembro e novembro no município de Poços de Caldas (MG) e, de forma pontual, em outras cidades espalhadas pelo país. Nessas etapas anteriores, foram avaliados os sistemas de coleta do questionário domiciliar, do questionário do entorno, além dos sistemas de gestão, acompanhamento e controle do censo. Também foram realizadas abordagens em agrupamentos indígenas e quilombolas. Como verificar a identidade dos entrevistadores do IBGE Os recenseadores trabalham uniformizados, com boné e colete com a logomarca do IBGE. No colete, há também o crachá de identificação, contendo a foto e os números de matrícula e identidade do entrevistador. Eles vão utilizar um DMC, semelhante a um smartphone, para coleta das informações. Os moradores podem verificar a identidade de todos os entrevistadores do IBGE através do site respondendo.ibge.gov.br ou pelo telefone 0800-721-8181, das 8h às 20h, todos os dias. Como ocorre em todas as pesquisas do IBGE, as informações prestadas pelos moradores aos recenseadores são confidenciais e o sigilo é garantido.

•  sulnews •   noticias •   site •   naviraí


Últimas Notícias
Geral - 12/10/2021 03h11min
Motorista é multado em 33 mil por transporte ilegal de carvão
Geral - 12/10/2021 02h11min
Após pouso de emergência em fios elétricos, paraquedista volta à competição
Geral - 12/10/2021 02h11min
Após pouso de emergência em fios elétricos, paraquedista volta à competição
Geral - 12/10/2021 00h41min
São Paulo fica no zero com o Cuiabá e chega ao quinto empate seguido
Geral - 12/10/2021 00h41min
São Paulo fica no zero com o Cuiabá e chega ao quinto empate seguido
Geral - 11/10/2021 18h27min
Força Tática prende homem que ameaçou de morte a esposa com uma faca
Geral - 11/10/2021 17h32min
Operação prende seis brasileiros suspeitos de chacina no fim de semana
Geral - 11/10/2021 17h28min
Homem tem carro roubado após parar à beira da estrada para fazer xixi em MS