07/08/2021 10h01min - Geral
2 meses atrás

Investigação aponta que PCC pode ser responsável pela morte de político na fronteira


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: TaNaMídia Naviraí


A morte de Carlos Rubén Sánchez, o Chicharô, na manhã deste sábado (7), foi associada ao tráfico de drogas. Com passagens por envolvimento com o tráfico, organização criminosa, além da ligação com Jarvis Chimenes Pavão, Chicharô pode ter sido vítima do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O ministro do Interior, Arnaldo Giuzzio, falou sobre o atentado, indicando que o crime seria ligado à máfia na região de fronteira, ligada ao narcotráfico. Carlos foi morto em casa, por um grupo de aproximadamente 10 pessoas fortemente armadas com fuzis. Ele foi executado em Pedro Juan Caballero, na divisa com Ponta Porã.

Ao site ABC Color, o ministro lembrou que Chicharô era conhecido pela ligação com o narcotráfico e que respondia a processos pelo crime, tanto no Paraguai quando no Brasil. Além disso, é acusado de financiar políticos de sua área de influência para conquistarem o poder na região de Amambay.

O ministro afirmou ainda que não vê outra ligação que não com o tráfico, na execução. A suspeita é ainda de que o crime tenha sido executado pelo PCC. Um carro em chamas foi encontrado no território paraguaio momentos após o crime e há relato de que o grupo usou vários veículos.

Chicharô teria passado a madrugada com amigos e foi executado a tiros de fuzil em casa, enquanto dormia. Testemunhas falam em cerca de 500 tiros.

Atentado e morte

Carlos sofreu uma tentativa de homicídio em dezembro de 2019, quando teve o carro atingido por pelo menos 17 tiros. Apesar da blindagem do carro, o político sofreu pequenos ferimentos no antebraço esquerdo por conta dos estilhaços do vidro. Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, os tiros eram de fuzis 7.62, pistola 9 milímetros e escopetas de calibre 12.

Já em novembro de 2020, o advogado de Chicharô, Diego Rotela, foi executado, em Capitan Bado, quando saía da casa da namorada. Pistoleiros que estavam em uma motocicleta abordaram a vítima e a assassinaram a tiros.

Ameaça de morte

Em 2016, Carlos foi preso durante cumprimento de mandado, em razão da ameaça feita com armas de fogo contra o prefeito de Coronel Sapucaia, Rudi Paetzold. Suplente de deputado federal no país vizinho na época, Chicharô foi preso enquanto visitava Jarvis Chimenes Pavão.



•  tanamidia navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 21/09/2021 12h32min
Inmet alerta para vendaval com ventos de 60 km/h em MS
Geral - 21/09/2021 12h31min
Azambuja diz que já estuda reduzir o ICMS da gasolina em Mato Grosso do Sul
Geral - 21/09/2021 12h26min
Último dia de inverno com temperatura acima de 40° no MS
Geral - 21/09/2021 11h08min
Palmeiras e Atlético Mineiro abrem a disputa por vaga na final
Geral - 21/09/2021 10h45min
Com venezuelanos recusando emprego, Capital terá campanha contra esmola
Geral - 21/09/2021 10h25min
Governo de Mundo Novo recebe a visita do ex-prefeito Walter Pina
Geral - 21/09/2021 10h05min
PM Naviraí prende homem por ameaça e porte ilegal de arma de fogo
Geral - 21/09/2021 10h00min
Feira de Negócios de Dourados movimenta mais de R$ 50 milhões