04/04/2021 08h45min - Geral
2 semanas atrás

Jovem de Campo Grande tirou nota 1000 na redação


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: SulNews


CAMPO GRANDE NEWS A campo-grandense Camila Mariana Castro de Oliveira, de 21 anos, está na seleta lista dos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) que conseguiram nota 1.000 na redação da prova. Em meio a cerca de 2,7 milhões de pessoas que fizeram prova no ano passado, apenas 28 conseguiram tal feito. Estudando em alguns dos mais caros cursinhos pré-vestibular durante quatro anos em Campo Grande, foi justamente no ano de pandemia em que Camila obteve maior êxito possível na avaliação de alunos que estão saindo do ensino médio, cujo resultado serve como porta de entrada para entrar no ensino superior. Antes que o resultado fosse divulgado oficialmente, Camila já havia ingressado, de forma remota, no curso de Medicina em uma instituição particular localizada em São Paulo (SP), cadastrada no Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). Desde fevereiro, quando suas aulas começaram, ela tem aguardado ansiosamente pelo resultado da prova, já que pretende utilizá-lo no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) para tentar entrar em universidade pública. Ao Campo Grande News, ela relata que “foi um misto de emoções” descobrir o bom desempenho obtido no Enem. “Tinha acabado de acordar, não consegui ver no dia que saiu, só vi no dia seguinte de manhã. Foi muito gratificante porque tentei por anos, não foi algo que construí do nada. Foram quatro anos de nivelamento, então foi resultado de muita dedicação, esforço e perseverança”, explica. Ela avalia que um de seus “pontos fortes” era justamente a redação, mas que não esperava que fosse se sair tão bem. “Eu nem acreditei quando vi, apesar de redação sempre ter sido meu forte eu nunca esperava um mil”, ressalta. “Hoje em dia não faço [cursinho], entrei esse ano na Uninove [Universidade Nove de Julho] para cursar Medicina, não aguentei esperar os resultados. Mas ainda sonho com a federal, e se não der estou bem satisfeita com a minha nota e com o lugar que estou estudando atualmente”, diz. Rotina exaustiva – O ótimo desempenho de Camila não veio por acaso. Segundo a própria estudante, sua rotina era muito bem definida como forma de sempre melhorar seu aprendizado. “Sempre fui muito metódica e rotineira, então eu gostava de já ter organizado desde domingo o que eu ia fazer na semana inteira, para me ajudar a não perder tempo”, diz. Ela detalha que fazia aula das 7h às 17h, com intervalo para almoço, e que ainda ficava até aproximadamente 21h estudando por conta própria. Com mais de 10 horas diárias de  estudo, Camila ainda teve de se adaptar as dificuldades impostas pela pandemia. “Tive que me adaptar muito rápido a isso, nunca tinha estudado remotamente. O mais difícil foi lidar com a insegurança de saber se estava estudando certo, se ia dar resultados”, relata. Além disso, ela também menciona apoio dado pelos professores, amigos e família. “Meus professores se adaptaram muito bem e o cursinho ofereceu tudo que estava ao alcance deles pra trazer uma segurança maior pra gente. Minha família e meus amigos sempre compraram esse sonho junto comigo, então foi como se eles tivessem realizado algo que queriam muito”, finaliza. Disparidade – Conforme dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Pesquisas Anísio Teixeira), apenas um participante a cada 100 mil conseguiu esse desempenho neste ano, ao escrever a redação que tinha como tema “o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. “É difícil de acreditar até agora, mas é muito gratificante por ver que todo esforço valeu a pena e trouxe resultados que sempre almejei”, comenta Camila a respeito dos resultados obtidos por outras pessoas no Enem. Nessa mesma proporção – comparando a quantidade de participantes no geral em relação aos que tiraram nota 1.000, o desempenho nacional foi levemente melhor em 2019 – o índice foi de 1,36 participantes a cada 100 mil. A efeito de comparação, cerca de quatro alunos, a cada 100 mil, conseguiram nota máxima a seis anos atrás, em 2014. Índice que, desde então, tem apresentado redução.

•  sulnews •   noticias •   site •   naviraí


Últimas Notícias
Geral - 20/04/2021 17h11min
Justiça leiloa a sede do Corumbaense
Geral - 20/04/2021 15h40min
Mara solicita o recapeamento da MS-160
Geral - 20/04/2021 15h25min
Thalles Tomazelli e prefeitos do Conisul solicitam Castramóvel
Geral - 20/04/2021 15h20min
Mara diz que ações sociais de associação merecem reconhecimento
Geral - 20/04/2021 14h41min
Vice-prefeito busca parceria comercial com a Indonésia
Geral - 20/04/2021 14h20min
Comissão dá aval para reforma administrativa no governo Azambuja
Geral - 20/04/2021 13h33min
Sumida há dois dias, mulher queimada em canavial tinha passagens por furto
Geral - 20/04/2021 12h16min
Federação de Futebol pagará pensão vitalícia a radialista espancado