24/04/2021 07h55min - Geral
3 semanas atrás

Mato Grosso do Sul não tem universidades com nota máxima no MEC


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: Naviraí Notícias


Cinco universidades atingiram o índice 4, considerado satisfatório - Foto: Arquivo / Correio do

Nenhuma instituição de ensino superior de Mato Grosso do Sul, púbica ou privada, atingiu a faixa 5, que é a máxima, no Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019, divulgado nesta sexta-feira (23) pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O indicador mede a qualidade das instituições de ensino superior.

No Estado, foram avaliadas 27 instituições, entre universidades, faculdades, centros universitários,  institutos federais e centros federais de educação tecnológica.

Deste total, cinco atingiram o conceito 4 do indicador, que é o segundo melhor resultado do ICG.

Alcançaram o índice 4 a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Centro Universitário da Grande Dourados (Unigran) e Centro Universitário Unigran Capital.

A média 4, assim como a 5, é considerada satisfatória, enquanto a 3 é regular e 1 e 2 são insatisfatórias.

No Estado, cinco instituições de ensino superior alcançaram o nível 2, sendo a Faculdade de Administração de Fátima do Sul, Faculdade Salesiana de Santa Tereza (Corumbá), Faculdade de Administração de Chapadão do Sul, Faculdade Anhanguera de Dourados e Faculdade de Educação, Tecnologia e Administração de Caarapó.

Outras 17 instituições ficaram no índice 3.

 

NACIONAL

Segundo o Inep, das 106 instituições de educação superior públicas federais com o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019 no País, 71% atingiram os conceitos 4 e 5 do indicador.

Ao todo, os resultados foram calculados para 2.070 instituições (públicas e privadas), considerando os 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019.

Em valores absolutos, a Região Sudeste apresentou o maior número de instituições com faixa 5.

 

CÁLCULO

O cálculo matemático para chegar ao IGC leva em conta os seguintes aspectos: a média do  Conceito Preliminar de Curso (CPC), considerando o último ciclo do Enade como referência; a média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, atribuídos pela CAPES na última avaliação trienal; e a distribuição dos estudantes entre as diferentes etapas de ensino superior (graduação ou pós-graduação stricto sensu).

Como indicador de qualidade, o IGC integra o conjunto de procedimentos e instrumentos diversificados que avalia as instituições de ensino, de acordo com o que prevê a Lei do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

O índice tem relação direta com o ciclo avaliativo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), que mensura, entre outros aspectos, o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação.

Para ter o IGC calculado, a instituição deve ter, no mínimo, uma graduação com Conceito Preliminar de Curso (CPC) atribuído no triênio de referência do Enade. (Com informações Jornal Correio do Estado).

Fonte: Jornal Correio do Estado

•  navirai noticias •   site •   naviraí


Últimas Notícias
Geral - 18/05/2021 18h07min
Empreiteira vai asfaltar rodovia por R$ 55 milhões
Geral - 18/05/2021 17h06min
Abate de bovinos recua no 1° trimestre, mas o de frangos e suínos cresce
Geral - 18/05/2021 16h05min
Homem é assassinado dentro de sua casa
Geral - 18/05/2021 15h04min
DOF intercepta traficante com 349 quilos de drogas
Geral - 18/05/2021 14h48min
Auxílio Emergencial: confira o calendário de recebimento da segunda parcela
Geral - 18/05/2021 13h35min
Itaquiraí participa da implantação do Fórum da Agricultura Familiar
Geral - 18/05/2021 13h30min
IFMS abre 300 vagas para cursos técnicos gratuitos em 5 municípios
Geral - 18/05/2021 13h25min
TCE-MS autoriza abertura de concurso público