24/06/2021 17h11min - Geral
4 semanas atrás

Milho no Brasil se desvaloriza e atinge o menor nível em 100 dias


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: SulNews


CARLA MENDES / NOTÍCIAS AGRÍCOLAS A quarta-feira chegou ao final com os preços do milho pendendo para baixo no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do site Notícias Agrícolas, foram percebidas valorizações apenas em Jataí (GO) e Rio Verde (GO). As desvalorizações apareceram nas praças de Eldoirado (MS), Não-Me-Toque (RS)0, Panambi (RS), Ubiratã (PR), Londrina (PR), Marechal Cândido Rondon (PR), Pato Branco (PR) e Cândido Mota (SP). De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, “as cotações do milho no mercado físico em São Paulo tem recuado mesmo com pouquíssimos negócios concretizados. As atenções se voltam para o dólar que depois de dias de queda está mais comportado. A colheita da safrinha no Brasil Central ainda é incipiente e disponibiliza volumes poucos relevantes”.A análise da Agrifatto Consultoria acrescenta que, “com o dólar encostando novamente nos R$ 5,00, as negociações de milho voltaram novamente a ser puxadas para baixo, com a referência de preço na casa dos R$ 89,00/sc em São Paulo”.A consultoria SAFRAS & Mercado aponta que o mercado brasileiro de milho deve ter dias de poucos negócios. “Os compradores seguem distantes dos negócios, aguardando um maior movimento de queda nos preços para retomar as aquisições”.B3Os preços futuros do milho tiveram mais um dia de recuo na Bolsa Brasileira (B3), atingindo o menor nível nos últimos 3 meses e meio, conforme aponta a consultoria Agrinvest. As principais cotações registraram movimentações negativas entre 2,88% e 3,62% ao final do dia desta quarta-feira.O vencimento julho/21 foi cotado à R$ 80,80 com queda de 2,88%, o setembro/21 valeu R$ 80,94 com perda de 3,53%, o novembro/21 foi negociado por R$ 82,60 com desvalorização de 3,62% e o janeiro/22 teve valor de R$ 85,10 com baixa de 3,61%.Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, os números de projeções de produção para esta safrinha vão de 60 a 68 milhões de toneladas, com a maioria ficando abaixo de 64, mas ainda com números indefinidos. “Está começando agora com 5% colhido no Mato Grosso e 2% nos demais estados. Ainda é muito cedo porque foi uma safrinha muito prejudicada, mas do melhor investimento em tecnologia. Eu ainda fico na dúvida se vai quebrar tanto ou vai quebrar menos. Tem lavouras que pareciam muito ruins e estão colhendo bem e outras que não dão nem colheita”, aponta.Brandalizze ainda comenta que é normal que o mercado comece a se acomodar porque temos a necessidade de exportar. “Se colher 60 milhões de toneladas, vamos usar 40 no mercado nacional e sobram 20 milhões para exportar”. Mercado ExternoA Bolsa de Chicago (CBOT) encerrou as atividades de terça-feira com os preços internacionais do milho futuro operando em campo misto. As principais cotações registraram movimentações entre 18,25 pontos negativos e 0,50% positivo ao final do dia.O vencimento julho/21 foi cotado à US$ 6,59 com alta de 0,50 pontos, o setembro/21 valeu US$ 5,53 com desvalorização de 18,25 pontos, o dezembro/21 foi negociado por US$ 5,39 com perda de 18,00 pontos e o março/22 teve valor de US$ 5,46 com baixa de 18,00 pontos.Esses índices representaram estabilidade, com relação ao fechamento da última segunda-feira, para o julho/21, além de queda de 3,15% para o setembro/21, de 3,23% para o dezembro/21 e de 3,19% para o março/22.Segundo informações da Agência Reuters, os futuros do milho nos Estados Unidos caíram em sua maioria na terça-feira, já que as últimas previsões do tempo indicavam que as chuvas necessárias chegariam ao meio-oeste dos Estados Unidos no momento que as lavouras entram em estágios de desenvolvimento.“Tem estado muito seco, mas a secura nos estágios iniciais em que estivemos é muito menos significativa do que a secura na polinização que ocorrerá aqui nas próximas semanas. Estamos realmente atingindo o momento crucial”, disse Ben Buie, líder da equipe de grãos da MaxYield Cooperative.A publicação destaca ainda que, embora a maioria dos contratos de milho tenha sido negociada em território negativo, o contrato do primeiro mês de julho firmou com a oferta restrita no país sustentando os preços.

•  sulnews •   noticias •   site •   naviraí


Últimas Notícias
Geral - 25/07/2021 03h06min
Rixa antiga acaba com homem ferido a garrafadas
Geral - 25/07/2021 03h05min
Traficante abandona moto com 22 tabletes de maconha em milharal
Geral - 25/07/2021 03h04min
Polícia Federal apreende mais de R$ 200 mil em cédulas na fronteira do Brasil com a Bolívia
Geral - 25/07/2021 02h02min
Caminhonete roubada no Paraná é recuperada em Dourados
Geral - 24/07/2021 18h13min
MS registra 547 casos novos e mais 14 mortes por Covid-19
Geral - 24/07/2021 17h12min
Homem morre atropelado em frente a mercado onde trabalhava e motorista foge
Geral - 24/07/2021 16h50min
Itaquiraí – Força Tática apreende mais de meia tonelada de maconha em barraco
Geral - 24/07/2021 16h09min
Lei de cotas para pessoas com deficiência completa 30 anos