28/02/2021 23h56min - Geral
2 meses atrás

Museu de Hiroshima sobre efeitos da bomba atômica é reaberto


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: TaNaMídia Naviraí


Um museu da cidade japonesa de Hiroshima, vítima da bomba atômica em 1945, foi reaberto ontem (27) após a substituição de várias de suas peças em exposição permanente.

O Museu Memorial da Paz de Hiroshima conta com cem mil itens relacionados ao bombardeio norte-americano, incluindo artefatos doados por sobreviventes e por familiares dos mortos, além de fotografias da época. O local foi reaberto após permanecer fechado por três dias para a primeira grande reorganização do museu desde sua renovação em 2019.

Todas as peças em exposição foram substituídas na área em que são exibidos artigos deixados por crianças que morreram depois de terem sido mobilizadas para o trabalho em fábricas. Estão incluídos entre os novos artefatos as bolsas e os uniformes dessas crianças que teriam morrido nas proximidades do foco da explosão e cujos corpos nunca foram encontrados.

Um homem des 50 anos, em visita ao museu, disse que, sendo pai, era difícil olhar para os artigos em exposição. Ele afirmou que costumava acreditar que as armas nucleares eram um mal necessário, mas que agora entende que elas não deveriam existir.



•  tanamidia navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 19/04/2021 14h35min
Fahd Jamil, foragido da polícia, se entrega em Campo Grande
Geral - 19/04/2021 14h10min
ITAQUIRAÍ: Prefeitura entrega na Câmara a LDO para ser votada
Geral - 19/04/2021 13h33min
Nas aldeias mestrando indígena da UEMS faz monitoramento de casos de Covid
Geral - 19/04/2021 13h30min
Prefeitura distribuirá kits da merenda escolar para 6,6 mil alunos
Geral - 19/04/2021 12h01min
Fahd Jamil se entrega e é preso em Campo Grande
Geral - 19/04/2021 11h11min
Duas servidoras da Assistência Social podem ter furado a fila da vacinação
Geral - 19/04/2021 11h08min
Casa de vereador é alvejada e menino é baleado
Geral - 19/04/2021 10h41min
Prefeitura lança projeto piloto de ensino do guarani a alunos indígenas