16/04/2021 08h17min - Geral
3 semanas atrás

Polícia investiga se helicóptero que fez pouso forçado na fronteira tem ligação com tráfico


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: TaNaMídia Naviraí


Após o pouso forçado na manhã de ontem (15), em uma propriedade rural no distrito de Nova Itamarati, a equipe do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) foi até o local para averiguar a aeronave.

De acordo com a delegada responsável e diretora do Dracco, Ana Cláudia Medina, "as evidências encontradas na aeronave, (para-brisa e faróis quebrados, posição do pouso) com as incoerentes, inconsistentes e evasivas versões apresentadas pelo piloto, levou à classificação do sinistro como de natureza criminosa".

Ainda conforme Medina, o piloto do helicóptero descartou o GPS da aeronave e formatou o smartphone usado para falar com os "patrões". Segundo a delegada, essas são características das narco operações, ou seja, voos baixos para evitar o controle aéreo, ausência de plano de voo, diário de bordo, dentre outros elementos. "Estava tão próximo do solo que o helicóptero atingiu a rede de alta tensão", pontuou a diretora do Dracco.

A aeronave está levada para Campo Grande com um guincho e será encaminhada para o hangar do Dracco, onde será submetida a novos exames periciais.

A apreensão do helicóptero faz parte da Operação Ícaro, que é realizada em caráter permanente, na repressão qualificada de crimes aeronáuticos.

Liberado-O Piloto do helicóptero, foi liberado no final da manhã de ontem (15), após ser ouvido pela Polícia Federal. O comandante disse aos policiais federais que tinha saído de Avaré no interior paulista e que entregaria o helicóptero R-66 matrícula PR-HMR e cadastrado como propriedade da Ultra Pilots Taxi Aéreo, em uma fazenda de nome Porto Feliz, mas que perdeu o controle da aeronave enquanto tomava água e acabou batendo em um fio de alta tensão o que o obrigou ao pouso forçado.

Quando pousou ele foi detido por policiais militares do Destacamento de Nova Itamarati que não encontraram nada de irregular na aeronave, mas como o piloto não apresentava plano de voo e o aparelho poderia estar sendo usado para algum tipo de ilícito, os federais assumiram o caso.

O comandante da aeronave é piloto comercial habilitado para helicópteros. Já a aeronave embora pertencente a empresa de táxi aéreo, não está homologada para esse tipo de operação.

Adquirida e transferida para o atual proprietário em 12 dezembro de 2017, o certificado de aeronavegabilidade do helicóptero vence no dia 24 desse mês. A situação do piloto é regular perante a Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC.



•  tanamidia navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 07/05/2021 09h08min
DOF prende três com 27 kg de cocaína escondida em veículo
Geral - 07/05/2021 08h32min
Após encontro amoroso, homem é ferido com 3 tiros na rua por desconhecido
Geral - 07/05/2021 08h24min
Três apostas acertam cinco números da Mega-Sena e faturam mais de R$ 30 mil cada
Geral - 07/05/2021 08h15min
Os 79 municípios de MS irão receber a vacina Pfizer na próxima semana
Geral - 07/05/2021 07h30min
Marun diz que é inveja a crítica por baixo salário
Geral - 07/05/2021 07h05min
Corpo de Bombeiros faz alerta para prevenção de queimadas
Geral - 07/05/2021 07h00min
Rafael Volpato e Simon Freitas pede fisioterapeutas e psicólogos nas UBS
Geral - 07/05/2021 06h40min
Três apostas no interior de MS faturam R$ 30,9 mil na quina