15/07/2022 09h18min - Geral
4 semanas atrás

Rapaz foi morto com tiro nas costas por defender deficiente físico de agressões


 • 

nIndexer / redacao@naviraionline.com.br
Fonte: Campo Grande NEWS


"Tranquilo, humilde, honesto e ajudava todo mundo", assim que a esposa e os vizinhos de Edijalma Hércules dos Santos, de 32 anos, o definiram. Edijalma foi assassinado com tiros nas costas pelo jovem Walter Eduardo Ferreira, de 21, na madrugada desta sexta-feira (15), no Jardim Centenário, em Campo Grande. "Ele saiu pra comprar uma pipoca pra mim, não dá pra descrever o que estou sentindo. Foi só na conveniência, voltou tossindo sangue, sentou no sofá e pediu pra chamar a polícia", relatou Thais Marques, de 23 anos, esposa de Edijalma. Foi ela quem acionou o socorro e pediu ajuda de amigos para levar o homem até uma unidade saúde. Com os olhos inchados de tanto chorar, Thais se limitou a dizer que está sem chão e que tem um filho de dois anos junto com Edijalma. "Ele era muito tranquilo, não ficava na rua e não tinha problema com ninguém", finalizou a jovem. De acordo com uma vizinha, que tem medo de Walter e preferiu não se identificar, Edijalma foi morto porque na última semana deu um soco no rosto de Walter quando tentou defender um deficiente físico que estava apanhando do jovem. "Edijalma viu o cara batendo em um senhor deficiente, aí entrou no meio para defender. Ele era bom, honesto, humilde e ajudava todo mundo. Já o Walter tava sempre dando tiro pra cima e tocava o terror aqui no bairro", disse a mulher. Sebastião Adir, comerciante de 55 anos, trabalha em frente à conveniência onde Edijalma foi atingido. "Ele era muito tranquilo, só saia de casa pra trabalhar e fazer compra. Ele sempre passava aqui e tomava um gole de chimarrão comigo enquanto a esposa tava fazendo compra, mas logo voltava pra casa com ela", contou. Depois de ser preso em flagrante, Walter ficou aliviado ao saber que Edijalma havia morrido. A caminho da delegacia ele tentou colocar a culpa dos disparos no irmão mais novo, menor de idade, mas depois confessou o crime. "Estava cansado de apanhar", disse Walter para o delegado. Testemunhas contaram à polícia que Walter estava tentando se impor na região para virar um líder, ameaçando as pessoas, fazendo bagunça na rua e atirando para cima com frequência. Ao todo Walter atirou seis vezes contra Edijalma, mas apenas um disparo atingiu a vítima, que morreu a caminho do hospital.

•  campo grande news •  navirai •  noticias


Últimas Notícias
Geral - 08/08/2022 21h14min
Polícia Civil e Militar deflagram Operação “Naviraí Segura”
Geral - 08/08/2022 20h56min
TSE responde aos questionamentos técnicos das Forças Armadas    
Geral - 08/08/2022 20h49min
Vendaval destelha barracões e tomba veículos na BR-163
Geral - 08/08/2022 20h37min
Jovem é morto em Niterói durante Parada do Orgulho LGBTQIA+
Geral - 08/08/2022 20h20min
Rio vai paralisar imunização de crianças de 3 e 4 anos contra covid-19
Geral - 08/08/2022 20h08min
Parcela de R$ 600 do Auxílio Brasil começa a ser paga amanhã
Geral - 08/08/2022 20h07min
Covid-19: Brasil registra 170 óbitos e 17,4 mil casos em 24 horas
Geral - 08/08/2022 19h47min
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas